Síndrome do Impostor: da identificação à superação

Síndrome do Impostor: da identificação à superação

Alguma vez você já experimentou a sensação de sentir-se incompetente, de ser uma farsa e ter medo de ser descoberto? Já passou pela sua cabeça o pensamento “se eu consigo fazer isso, o quão difícil pode ser”?

No meu último ano da faculdade de Psicologia, eu assumi o atendimento de vários pacientes durante um estágio que fiz no Hospital Universitário. Lembro-me que mesmo com todo o aparato teórico, estudos sobre cada caso e supervisão semanal com meus professores, eu me sentia despreparada e muitas vezes tinha a sensação de não saber o que estava fazendo.

Ainda que eu tivesse evidências concretas da minha competência e um feedback positivo tanto de outros profissionais quanto dos pacientes que eu atendia, eu me sentia uma fraude. Depois de cada intervenção, havia um mesmo pensamento que era recorrente: “Que sorte a minha por tudo ter dado certo desta vez, mas em algum momento não terei tanta sorte e todos vão descobrir o quanto eu sou incompetente”.

Identificando a Síndrome do Impostor

Insegurança, ansiedade de performance, dúvidas quanto a própria capacidade e sentimento de ser uma fraude são crenças comuns e até mesmo naturais em profissionais recém formados, iniciando suas carreiras. Porém, quando passam a ser constantes ou persistentes, estes pensamentos podem estar associados a uma condição psíquica conhecida como Síndrome do Impostor.

Pessoas com Síndrome do Impostor tendem a desvalorizar as próprias habilidades, encontrar desculpas para seu sucesso, desvinculando-o da própria competência, e possuem a crença de não serem tão boas ou capazes quanto os outros acreditam que elas são.

Além disso, sentem vergonha diante das falhas e diante das conquistas, o sentimento de alívio prevalece, impedindo os “impostores” de sentir alegria ou celebrar. O medo de ser “descoberto”, gera ansiedade frente aos próximos desafios e essas pessoas raramente sentem autoconfiança.

Pessoas que trabalham sozinhas, profissionais de tecnologia e de outras profissões nas quais a avaliação de desempenho é subjetiva, apresentam uma tendência maior para o desenvolvimento deste quadro.

Como superar a Síndrome do Impostor, ou aprender a conviver com ela

E quais são as melhores estratégias para lidar e superar a Síndrome do Impostor?Entender os sintomas e falar sobre os sentimentos são um ótimo começo, porém, não são suficientes para superá-la. Para isso é necessário atuar na ressignificação dos pensamentos.

Os pensamentos modificam os comportamentos. Portanto, para deixar de se sentir como um impostor, é necessário parar de pensar como um. A partir do momento que você se conscientiza de suas crenças e do padrão de pensamento “impostor”, você é capaz de ressignificá-lo: “Como um não impostor pensaria nesta situação?”

Sentimentos são os últimos a mudar, portanto, lembre-se que você não precisa sentir-se confiante para agir com confiança. Com o tempo, você realmente começará a acreditar nos novos pensamentos e a partir daí perceberá que novas crenças estão sendo estabelecidas, em substituição àquelas de impostor. Neste momento, você deixará de ter uma “vida sentindo-se impostor” e passará a ter “momentos sentindo-se impostor”, dos quais você conseguirá sair com mais rapidez, ressignificando os pensamentos.

lucia

About Lúcia De Biagi Cava

Psicologa por formação e mentora do caravana cloud.